ENGLISH      FRANÇAIS



Home / Online screening material / Cytopatologia do colo uterino - atlas digital / Sistema de Bethesda 2001

Filter by language: English / Français / Portugues / 中文

  Sistema de Bethesda 2001  Search in Medline for Sistema de Bethesda 2001   Volte para a lista

Comentário:
Em relação à classificação de Bethesda 1991, foram introduzidos:
  • O tipo de amostra
  • A noção de um exame automatizado
  • E a realização de técnicas complementares (teste HPV)
A categoria “diagnóstico descritivo” foi modificada para “interpretação/resultados”.
TIPO DE AMOSTRA:
Precisar:
  • esfregaço convencional (Papanicolaou)
  • vs. citologia em meio líquido
  • vs. Outros
Comentário:
A difusão de técnicas de preparação em meio líquido (ou esfregaço) (ou células em suspensão) justifica que esta informação esteja presente no relatório.
      ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA
      Satisfatória para avaliação
      • (descrever presença ou ausência de componentes endocervicais/zona de transformação e quaisquer outros indicadores de qualidade, por exemplo, parcialmente obscurecido por sangue, inflamação etc.)
      Insatisfatório para avaliação… (especificar o motivo)
      • Amostra rejeitada/não processada (especificar o motivo)
      • Amostra processada e avaliada, mas insatisfatória para avaliação de anormalidade epitelial porque (especificar o motivo)
      Comentário:
      Em relação à classificação Bethesda 1991, a categoria “Satisfatória mas limitada por...” desapareceu. E mais, e por definição, toda amostra que contém células anormais (do tipo ASCUS ou AGC ou mais acentuada), é considerada como satisfatória. Os critérios de celularidade devem ser precisos. Se mais de 75% das células são escondidas/obscurecidas por sangue ou inflamação, a amostra é considerada não satisfatória.
          CATEGORIZAÇÃO GERAL (opcional)
          Negativo para lesão intra-epitelial ou malignidade

          Outras:
          • Ver Interpretação/resultado (por exemplo, células endometriais em mulher >= 40 anos de idade)
          Alteração celular epitelial:
          • Ver Interpretação/resultado (especificar "escamoso" ou "glandular", quando apropriado)
          Comentário:
          A expressão “diagnóstico geral” de 1991, foi modificada para “categorização geral” ela é opcional no relatório.
              INTERPRETAÇÃO/RESULTADO
              NEGATIVO PARA LESÃO INTRA-EPITELIAL OU MALIGNIDADE,
              • ORGANISMOS
              • OUTROS ACHADOS NÃO-NEOPLÁSICOS (descrição opcional; relação não inclusiva)
                • OUTROS:
                  • Células endometriais (em mulher >= 40 anos de idade) (Especificar se "negativo para lesão intra-epitelial")
                  • ALTERAÇÕES DAS CÉLULAS EPITELIAIS:
                    • CÉLULAS ESCAMOSAS
                    • CÉLULAS GLANDULARES
                    OUTRAS NEOPLASIAS MALIGNAS (especificar)
                Comentário:
                A categoria de “modificações celulares benignas” de 1991 que era individualizada foi adicionada à categoria “ausência de lesão intra-epitelial ou maligna”.
                    INTERPRETAÇÃO/RESULTADO (2)
                    NEGATIVO PARA LESÃO INTRA-EPITELIAL OU MALIGNIDADE(quando não existir evidência celular de neoplasia, descrever o fato na Categorização Geral acima e/ou na seção de Interpretação/Resultado do laudo, se existem ou não organismos ou outros achados não-neoplásicos).
                    • ORGANISMOS:
                      • Trichomonas vaginalis
                      • Organismos fúngicos morfologicamente consistentes com Candida spp.
                      • Substituição na flora sugestiva de vaginose bacteriana
                      • Bactérias morfologicamente consistentes com Actinomyces spp
                      • Alterações celulares consistentes com o vírus herpes simples
                    • OUTROS ACHADOS NÃO-NEOPLÁSICOS (descrição opcional; relação não inclusiva):
                      • Alterações celulares reativas associadas à
                        • inflamação (incluindo reparo típico)
                        • radiação
                        • dispositivo intra-uterino (DIU)
                      • Estado das células glandulares pós-histerectomia
                      • Atrofia
                    OUTROS
                    • Células endometriais (em mulher >= 40 anos de idade) (Especificar se "negativo para lesão intra-epitelial")
                    Comentário:
                    As “modificações celulares benignas” de TBS 1991 entraram na categoria “ausência de lesão intra-epitelial ou maligna”. Na presença de células endometriais em uma mulher de 40 anos é conveniente precisar a ausência de lesão intra-epitelial ou maligna.
                        INTERPRETAÇÃO/RESULTADO (3)
                        ALTERAÇÕES DAS CÉLULAS EPITELIAIS
                        CÉLULAS ESCAMOSAS
                        • Células escamosas atípicas
                          • de significado indeterminado
                          • não é possível excluir lesão intra-epitelial escamosa de alto grau
                        • Lesão intra-epitelial escamosa de baixo grau (abrangendo HPV/displasia leve/NIC 1)
                        • Lesão intra-epitelial escamosa de alto grau (abrangendo: displasia moderada e acentuada, CIS; NIC 2 e NIC 3)
                          com características suspeitas de invasão (se houver suspeita de invasão)
                        • Carcinoma de células escamosas
                        Comentário:
                        A modificação mais importante encontra-se dentro da categoria ASC, com uma definição mais precisa dos critérios, desapareceu a categoria “ASCUS provavelmente reacional” e ocorreu à individualização da categoria ASC-H. Não esquecer que está categoria ASC-H corresponde à interpretação de uma amostra e não de uma célula isolada.
                            INTERPRETAÇÃO/RESULTADO (4)
                            ALTERAÇÕES DAS CÉLULAS EPITELIAIS
                            CÉLULAS GLANDULARES
                            • Atípicas
                              • células endocervicais (sem outras especificações (SOE) ou especificar nos comentários),
                              • células endometriais (SOE ou especificar nos comentários),
                              • células glandulares (SOE ou especificar nos comentários)
                            • Atípicas
                              • células endocervicais, possivelmente neoplásicas,
                              • células glandulares, possivelmente neoplásicas,
                            • Adenocarcinoma endocervical in situ
                            • Adenocarcinoma:
                              • endocervical
                              • endometrial
                              • extra-uterino
                              • sem outras especificações (SOE)
                            Comentário:
                            A individualização do adenocarcinoma in situ endocervical realizada dentro de critérios citológicos bem definidos e o desaparecimento da categoria AGC de significação indeterminada (AGUS) são as principais modificações.
                                INTERPRETAÇÃO/RESULTADO (5)
                                OUTRAS NEOPLASIAS MALIGNAS (especificar): (specify)
                                  Comentário:
                                  Outras formas mais comuns de carcinoma malpighiano e de adenocarcinoma endocervical apresentam-se raramente como tumores primitivos do colo uterino, tumores secundários e tumores metastáticos.
                                      TESTES AUXILIARES
                                      Fornecer uma breve descrição do método do teste e relatar o resultado de modo a ser facilmente compreendido pelo clínico.
                                        Comentário:
                                        É conveniente precisar o método utilizado para o teste do HPV (PCR ou captura de híbridos). Dentro da descrição é preferível integrar os resultados ao relatório.
                                            REVISÃO AUTOMATIZADA
                                            Se o caso for avaliado com um equipamento automatizado, especificar o equipamento e o resultado.
                                              Comentário:
                                              Precisar o sistema utilizado, se a análise é desenvolvida corretamente e se esta análise é acompanhada de releitura das lâminas.
                                                  NOTAS EDUCATIVAS E SUGESTÕES (opcionais)
                                                  As sugestões devem ser concisas e consistentes com orientações do acompanhamento clínico publicadas por organizações profissionais (referências quanto as publicações relevantes podem ser incluídas).
                                                    Comentário:
                                                    Estas referências devem ser provenientes de conferências de consensos e/ou de recomendações originárias de Sociedade de Especialidades ou de organismos oficiais. As notas poderão por exemplo: precisar as modalidades de repetição das amostras, se elas não estão satisfatórias, individualizar as pacientes que necessitam de um acompanhamento particular e de investigações subseqüentes.
                                                        IARC, 150 Cours Albert Thomas, 69372 Lyon CEDEX 08, France - Tel: +33 (0)4 72 73 84 85 - Fax: +33 (0)4 72 73 85 75
                                                        © CIRC 2014 - Tous droits réservés.