Home / Training / Manuals / Colposcopia e tratamento da neoplasia intra-epitelial cervical: Manual para principiantes / Introdução
Colposcopia e tratamento da neoplasia intra-epitelial cervical: Manual para principiantes, J.W. Sellors & R. Sankaranarayanan

Introdução

Filter by language: English / Français / Español / Portugues / 中文

Provedores da área de saúde têm observado uma elevada incidência da neoplasia do colo uterino em muitos países em desenvolvimento na África, Ásia e América Central e do Sul e, na a falta de programas de detecção precoce, as taxas de mortalidade desta doença permanecem altas. A infra-estrutura da assistência de saúde extremamente limitada em muitos desses países contribui para existência de uma necessidade imperiosa de capacitar pessoal para identificar a neoplasia cervical em estágios iniciais e passíveis de prevenção, preferivelmente antes da - e não seguindo a - introdução de programas de detecção precoce em tais locais. A colposcopia é considerada em geral um teste de diagnóstico; é usada para avaliar mulheres identificadas com anomalias cervicais em diversos testes de triagem.

Este manual introdutório para ginecologistas, patologistas, clínicos-gerais e enfermeiras está destinado a proporcionar informação sobre os princípios da colposcopia e as habilidades básicas necessárias para avaliar por colposcopia a neoplasia intraepitelial cervical e para proporcionar tratamento básico. Espera-se que os profissionais da saúde interessados sigam subseqüentemente melhorando suas habilidades e aça um curso básico de formação teórica e prática e consulte livros de texto padrão sobre que abordem do assunto mais amplamente. O trabalho prático contínuo é vital para adquirir, melhorar e manter as habilidades necessárias ao diagnóstico colposcópico da neoplasia cervical. Este manual também se destina a ser um recurso de auto-aprendizagem para principiantes e um auxílio ao ensino em cursos de colposcopia para o pessoal da área da saúde, assim como um recurso de ensino do programa de estudos de estudantes de medicina e de enfermagem em países em desenvolvimento. Também pode ser usado como um manual de campo em programas de triagem de rotina.

Uma boa compreensão da anatomia macroscópica e microscópica do colo uterino, afecções inflamatórias e infecciosas do colo uterino e da vagina, histologia e a história natural da neoplasia cervical são totalmente essenciais para uma interpretação correta dos achados e diagnóstico colposcópicos da neoplasia cervical. Esses aspectos são tratados em detalhe neste manual e devem ser bem estudados com outros capítulos que tratam de técnicas e características colposcópicos da neoplasia cervical e seu tratamento.

Em termos gerais, a colposcopia não deve ser realizada a menos que o provedor tenha passado algum tempo com um colposcopista experiente. Lamentavelmente, isto é muito difícil de se conseguir na maioria dos países em desenvolvimento, onde a incidência de doenças é elevada (em particular, na África) e dificilmente se tem acesso a tal formação e a um colposcópio. Por exemplo, à parte da formação em colposcopia, não há serviço de colposcopia em vastas regiões da África, Ásia e América Latina. De modo realista, o colposcopista básico em tais situações é um provedor da área de saúde autodidata que sabe examinar o colo uterino, o que buscar, como fazer um diagnóstico e como tratar uma paciente com métodos excisionais ou ablativos simples. Enfatizamos, contudo, que deve haver um instrutor para a formação local de novos colposcopistas. As limitações e implicações extensivas da compreensão incompleta da doença cervical e excelência inadequada devem ser devidamente ponderadas por profissionais em potencial.

Versões preliminares deste manual foram usadas em mais de 20 cursos sobre colposcopia e tratamento de neoplasias do colo uterino realizadas em Angola, Congo (Brazzaville), Guiné, Quênia, Índia, Mali, Mauritânia, Laos e Tanzânia. Mais de 120 médicos e enfermeiras foram formados e iniciados em colposcopia no contexto das iniciativas de pesquisa em prevenção da neoplasia do colo uterino nesses países , assim como em outros países como Burkina Faso, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Moçambique, Nepal, Niger, São Tomé e Uganda. Os comentários dos participantes e grupo de instrutores desses cursos foram particularmente úteis para a revisão das versões preliminares do manual. As ilustrações usadas neste manual têm sido também excisadas, em grande parte, de projetos nos países mencionados anteriormente.

As limitações de recursos para os sistemas de assistência de saúde em muitos países em desenvolvimento são substanciais, implicando em desafios práticos sobre como integrar a colposcopia e o tratamento da neoplasia cervical incipiente e proporcionada por estes serviços de saúde. A conscientização sobre essas limitações abrirá o caminho para estabelecer, integrar e manter tais serviços dentro da infra-estrutura de assistência de saúde de países em desenvolvimento. Esperamos que este manual ajude o aluno, dado o acesso a um colposcópio, a começar a realizar colposcopias e reconhecer lesões e tratar eficazmente com crioterapia ou cirurgia de alta freqüência (CAF). Acreditamos que, oportunamente, contribuirá para acelerar a iniciação e difusão de serviços preventivos para a neoplasia do colo uterino em regiões e países de poucos recursos.

Dr John W Sellors
Dr R. Sankaranarayanan
IARC, 150 Cours Albert Thomas, 69372 Lyon CEDEX 08, France - Tel: +33 (0)4 72 73 84 85 - Fax: +33 (0)4 72 73 85 75
© CIRC 2017 - Tous droits réservés.